Notícia
Postada em 11/02/2009 às 22:19 FCF divulga Ata da reunião dos clubes
Local: Hotel Gran Marquise - Avenida Beira-Mar, 3890

Por ocasião da reunião, os clubes convidaram a imprensa e desportistas em geral para um debate sobre a situação da falta de estádios na capital cearense em 2010.

O diretor de marketing do Fortaleza EC, Kleber Dias, iniciou os trabalhos convidando as seguintes pessoas para compor a mesa de debates:

- Gomes Farias, deputado estadual;

- Leonelzinho Alencar; vereador da cidade de Fortaleza;

- Mauro Carmélio, vice-Presidente da Federação Cearense de Futebol;

- Evandro Leitão, Presidente do Ceará SC;

- Paulo Vágner, Presidente do Ferroviário AC;

- Lúcio Bomfim, Presidente do Fortaleza EC.

O deputado estadual Gomes Farias iniciou o debate: "Estamos apoiando todos os debates em relação ao fato de Fortaleza ser escolhida como sub-sede da Copa do Mundo 2014 e entendemos que isso é uma realidade. O que vai ficar para a nossa cidade em termos de estrutura após a Copa, é algo fantástico. Mas e o nosso futebol, como vai ficar? O Castelão será fechado para a reforma e não acredito que as obras do PV estejam prontas até janeiro de 2010, por se tratar de algo público, que demanda tempo para licitação, entre outros fatores. Estou preocupado com o futebol cearense e encaminhei um requerimento na Assembléia Legislativa, no qual a comissão já foi formada para levar a situação ao Governo do Estado. Estou aqui para convidar os clubes para, junto com os parlamentares, apresentarmos este fato e propor uma discussão. Como sugestão para o Governo do Estado e a Prefeitura de Fortaleza, o poder público pode comprar 150 mil reais de ingressos por jogo aos clubes, implementando o programa da nota fiscal, como existe em outros centros como a cidade de Recife". Após a fala, o deputado teve que se retirar por compromissos na Assembléia Legislativa.

Em seguida, o vereador Leonelzinho Alencar teve a palavra: "Agradeço a oportunidade de participar deste importante debate e levanto a bandeira dos clubes na Câmara Municipal de Fortaleza. Estou aqui para contribuir da melhor maneira possível. Contamos com a sensibilidade da Prefeita Luizianne Lins, que não veio para a reunião por estar em Brasília. Mas falamos com o chefe de gabinete da Prefeita e as portas estão abertas pra gente discutir o assunto. Como é de conhecimento de todos, fiz o requerimento na Câmara Municipal e estou abraçando essa causa. Meu pai já foi Presidente do Fortaleza Esporte Clube e eu conheço a realidade dos nossos clubes. Conseguimos com o nosso trabalho o patrocínio da Prefeitura aos três grandes clubes da nossa cidade e isso é o mínimo que podemos fazer. Contem sempre pra defender os interesses do esporte, porque o futebol é o lazer de milhares de cidadãos fortalezenses".

O vice-Presidente da Federação Cearense de Futebol, Mauro Carmélio, também falou sobre o assunto: "Estamos aqui para lutar pelos interesses do futebol cearense. Estamos aqui junto com os clubes para encontrar uma solução, pois vamos perder o estádio Castelão por alguns anos a partir de janeiro de 2010. Anteriormente, compareci a uma audiência na Câmara Municipal, onde só quem estava presente era a Federação e o Renato Rocha, vice-Presidente do Ferroviário AC. Hoje eu vejo essa união dos clubes e isso é importante. Tive com a Prefeita Luizianne Lins no evento da FIFA, na última semana, e ela me garantiu que já tem uma parte da verba para a reforma do PV, algo em torno de 10 milhões de reais, ou seja, 1/6 do total. Eu não sou engenheiro, mas pelas informações que temos, não acredito que o PV fique pronto até janeiro de 2010. E os jogos no ano que vem, vamos marcar pra onde? Os jogos pequenos e médios, tem a opção dos estádios particulares dos clubes. Mas e o clássico? Vamos marcar pro estádio Carlos de Alencar Pinto ou Alcides Santos e ser responsabilizados pela falta de segurança? Vamos marcar pra Horizonte? Temos que parabenizar o ex-Prefeito Chico César pelo grande patrimônio que ele construiu para o futebol cearense que é o estádio Domingão. Mas vamos jogar em Horizonte todas as partidas? Nós vamos de carro, com ar-condicionado, e o torcedor comum? A situação é séria. Repito, a Federação está unida com os clubes nesse debate. O torcedor não vai para o estádio sem condições, sem conforto. Daqui a pouco, vai encontrar outro motivo, outro lazer, outra diversão. Vamos perder esse torcedor que os clubes trabalham desde a década de 80 pra conquistar? Podemos construir um grande estádio em outro local e estamos aqui pra debater e ouvir as sugestões".

Continuando o debate, os Presidentes dos clubes foram ouvidos. Por ordem alfabética dos clubes, o Presidente do Ceará SC, Evandro Leitão, teve a palavra: "É muito preocupante essa situação do futebol cearense. Nós temos estádios para abrigar jogos dos times grandes contra time pequenos, mas e os clássicos? E os jogos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro? É uma situação para o ano que vem, mas a discussão tem que ser agora. Demos a sugestão de ampliar os estádios dos clubes, mas não estamos aqui pra defender apenas essa idéia. Queremos uma discussão. Não podemos admitir é que a Prefeitura não faça nada há mais de um ano. Temos que enaltecer os políticos que estão levantando essa bandeira, como o deputado Gomes Farias e o vereador Leonelzinho Alencar. Nós precisamos dessas pessoas, da presença dos clubes na discussão, da imprensa, dos políticos, enfim. Para resolver, basta querer, basta ter sensibilidade. O estádio Albertão, em Teresina, por exemplo, foi construído em quatro meses. Quero agradecer ao Leonelzinho pelo patrocínio da Prefeitura. A gente sabe que ele está batalhando e temos que ser justos".

O Presidente do Ferroviário AC, Paulo Vágner, também falou no debate: "Inicialmente quero ressaltar que a Diretoria do Ferroviário está em peso aqui. É importante discutir o assunto e o Ferroviário é interessado, mesmo tendo uma torcida menor que a do Fortaleza e do Ceará, mas reconhecemos o problema dos estádios. Existe uma preocupação porque o torcedor é a nossa matéria-prima. Vamos jogar as semifinais no Castelão porque não temos como fazer na Barra do Ceará. Ouvi muita gente reclamando no jogo passado do desconforto, que assistiu o jogo em pé, muitos ficaram do lado de fora e voltaram para casa. Não queremos isso para o nosso torcedor. Como já foi falado aqui, daqui a pouco o torcedor procura outro lazer, forró, outra diversão. Como falei, sabemos que somos um clube menor que Fortaleza e Ceará, mas não somos time pequeno e estamos disponíveis para o debate e a busca por soluções".

Em seguida, o Presidente do Fortaleza EC, Lúcio Bomfim, teve a palavra: "É importante ressaltar que o Fortaleza está engajado na campanha para trazer a Copa do Mundo para a nossa capital. Mas, com o fechamento do Castelão e a reforma do PV, a qual não acreditamos que esteja pronta em janeiro de 2010 pelo investimento que será feito, nós levantamos essa polêmica, da falta de estádios, porque é uma realidade. Nós não vimos nenhuma manifestação do Governo do Estado e da Prefeitura sobre o assunto. Não fizemos isso antes da vinda dos representantes da FIFA para não prejudicar a candidatura de Fortaleza, mas queremos discutir o assunto. Tentamos convidar o secretário de esportes, Ferrúcio Feitosa, para este encontro, mas ele não pôde comparecer. Mesmo assim, a notícia boa que recebemos é que na segunda-feira, o Governador e suas equipes vão estar conversando sobre vários assuntos e um dos pontos é essa questão dos estádios. O deputado Nelson Martins, líder do Governo na Assembléia, já marcou uma data para os clubes irem na Assembléia e também levantar essa discussão. Os vereadores e deputados nos representam junto aos governantes. Existem várias alternativas para 2010, o PV pode ser reformado e liberado provisoriamente. Quando o Castelão for liberado, o PV pode complementar a reforma, enfim. Queremos que essa discussão chegue aos governantes. É uma preocupação dos clubes, que tem suas torcidas. O futebol não é apenas um esporte, é uma forma de lazer de muitos cearenses. Se não houver uma solução sobre esse assunto, vai ter uma insatisfação muto grande. O futebol faz parte da vida de muitos cidadãos, desde o rico até o mais pobre. Eles são nossos clientes. Estamos abertos para a discussão".

Dando continuidade ao encontro, o conselheiro do Ferroviário AC, José Rêgo Filho, pediu a palavra e reforçou o exemplo do Presidente do Ceará SC, Evandro Leitão, sobre o estádio Albertão, em Teresina: "No Piauí, eu testemunhei a construção do Albertão em apenas quatro meses, devido a criatividade e empenho do poder público em resolver o problema". José Rêgo se dirigiu ao Presidente Lúcio Bomfim exaltando a sua coragem para realizações e disse que o mesmo pode conduzir esta situação. O conselheiro do Ferroviário AC ainda enfatizou que o objetivo dos clubes é legítimo. "Nós não queremos esmolas do Governo. O que nós desejamos é fazer convênios e parcerias para resolver uma situação complexa. Podemos trabalhar o lado social do clube, abrindo espaço para crianças em situação de risco, nos bairros onde os clubes estão. O Ferroviário cuida da Barra, o Ceará de Porangabussu e o Fortaleza do Pici. E em casa estádio, poderia ter serviços para a comunidade, como delegacias, postos de saúde, entre outros".

Em seguida, foi aberta o momento para a participação da imprensa. O radialista Alano Maia, diretor da APCDEC - Associação Profissional dos Cronistas Desportivos do Estado do Ceará -, conclamou a imprensa a participar efetivamente do processo de discussão. "Faço um convite aos jornalistas que têm uma importância fundamental nessa luta, para ampliar a cobrança e divulgar o debate". O radialista comentou também o encontro com o secretário Ferrúcio Feitosa. "Levei para ele a idéia de trazer crianças das escolas públicas para conhecer o estádio Castelão, para conhecer o gramado, as cabines de rádio, os vestiários, com o objetivo de incentivá-las para valorizar e cuidar do patrimônio público. Os clubes podem ter trabalhos semelhantes". Em seguida, Alano Maia fez a seguinte indagação: "Entre todas as sugestões apresentadas, qual seria a melhor e mais rápida saída para esse momento?".

O Presidente do Ceará SC, Evandro Leitão, expressou sua opinão: "A forma mais rápida e eficaz de resolver essa situação seria a reforma e ampliação dos estádios dos clubes, já que os três tem uma boa base estrutural com iluminação e drenagem adequadas. A comunidade teria em troca vários benefícios, a gente não quer pedir nada, não se trata de uma doação, mas sim de uma parceria."

O Presidente do Ferroviário AC, Paulo Vágner, comentou sobre a disponibilidade do clube em expandir o seu trabalho social: "O Ferroviário atende a 800 crianças e estamos abertos para realizar convênios para ampliar essa ação".

Já o Presidente do Fortaleza EC, Lúcio Bomfim, analisou a situação e comparou o momento com a realização dos Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro. "A entrada de recursos públicos em empresas privadas é algo factível e pode ser feito através de parcerias. O orçamento para o Pan foi de 700 milhões de reais e faltando um ano e meio as obras estavam atrasadas e o Governo disponibilizou mais 3 bilhões de reais. Para a Copa de 2014 pode acontecer a mesma coisa. E não estamos preocupados apenas com as receitas, mas principalmente com um lugar para jogar. Vamos resolver a parte financeira, mas e os jogos? A ampliação dos estádios dos clubes para um público razoável é importante, mas não resolve o problemas dos clássicos".

O radialista Kramer Filho indagou a mesa sobre a meta de ampliação da capacidade dos estádios. O Presidente do Ceará SC, Evandro Leitão respondeu: "Conversamos sobre isso e o Ferroviário, como tem uma torcida menor, teria sua capacidade ampliada para 10 mil pessoas. Já o Fortaleza e o Ceará aumentariam para 20 mil a capacidade de seus estádios. As reformas do Castelão e do PV serão de aproximadamente 500 milhões de reais. E aqui não é nenhuma crítica, pelo contrário. Mas com um baixo percentual desse valor, por volta de 3%, conseguiríamos realizar as obras e transformar nosso estádios em verdadeiras praças esportivas. A cidade de Horizonte gastou 10 milhões de reais para a construção de um estádio para 10 mil pessoas. Em relação aos clássicos, podemos fazer como é no Paraná, por exemplo. O mandante fornece uma quantidade de ingressos para a torcida adversária".

O vice-Presidente da Federação Cearense de Futebol, Mauro Carmélio, reafirmou as palavras do radialista Alano Maia e convocou a imprensa para se fazer presente na discussão. O Presidente do Ferroviário AC, Paulo Vágner, lembrou que o Governador Gonzaga Mota, há mais de vinte anos, contribuiu para a construção dos estádios dos clubes e até hoje é lembrado por esse feito. O diretor de marketing do Fortaleza EC, Kleber Dias, finalizou a reunião, ressaltando que outros encontros acontecerão para debate do assunto.

Fortaleza-CE, 11 de fevereiro de 2009.

Competições









    FCF Diretoria Localização CBF Atletas por Clube Boletos BID-E Ficha do Atleta DOWNLOADS 2019 2018 ARBITRAGEM Quadro Regras TJDF CLUBES 1ª Divisão 2ª Divisão 3ª Divisão Não Profissionais Inativos Ligas Campeões Ranking CAMPEONATOS Série A 2020 Série C 2019 Sub/13 2019 Feminino 2019 Copa Uninta Sub/19 2019 Feminino sub/20 2019 Master 50 2019 IMPRENSA Notícias Imagens Vídeos FIQUE EM CONTATO Ouvidoria Links Youtube Twitter RSS  
 
Federação Cearense de Futebol - Rua Paulino Nogueira, 77, Benfica - (85) 3206.6500 - ouvidor@futebolcearense.com.br